quarta-feira, 25 de julho de 2018

Chapas proporcionais de Flávio Dino para deputados estaduais estão praticamente fechadas


Na noite de terça-feira (24), os partidos que apoiam o governador Flávio Dino tiveram mais uma rodada de conversas para definir a formação das chapas proporcionais para deputado federal e estadual. Para a disputa do Congresso Nacional, ainda há muita discussão, porém para Assembleia Legislativa avançou bastante. Ficou definido que para o parlamento estadual vão duas chapas e mais o PT sozinho, ficando apenas a definição do PTC e Solidariedade.

O “chapão” governista foi confirmado: PCdoB/PDT/DEM/PRB/PR/PSB e PP. Uma outra chapa também foi formada com PROS/PTB/PEN/PPL e PPS. O PT vai sozinho. Para uma última reunião restou a definição do PTC e SD. Os partidos da chapinha não aceitam os dois partidos, assim como o PT também não aceita. Restaria aos dois disputarem a eleição unidos ou integrarem o “chapão” ou até mesmo cada um seguir sozinho.

A expectativa é que todos os 15 partidos irmanados com Flávio Dino, elejam pelo menos 28 deputados estaduais, que representaria 2/3 da composição da Assembleia Legislativa.

Do chapão governista são considerados como favoritos: Othelino Neto (PCdoB), Fábio Macedo (PDT), Rogério Cafeteira (DEM), Glalbert Cutrim (PRB), Marcelo Tavares (PSB), Rafael Leitoa (PDT), Cleide Coutinho (PDT), Detinha (PR), Thaiza Hortegal (PP), Antônio Pereira (DEM), Neto Evangelista (DEM), Carlinhos Florêncio (PCdoB), Adelmo Soares (PCdoB), Marco Aurélio (PCdoB) e o representante de Stênio Rezende (DEM), que está inelegível.

Também a turma que vai brigar para garantir suas vagas. Do PCdoB vem Levi Pontes, Ana do Gás, Raimundo Cutrim, Francisca Primo, Duarte Júnior e Odair José; o PDT conta com Jonas Magno, Ricardo Rios, Valéria Macedo e Yglésio Moises; do DEM tem Daniela Tema e Paulo Neto, do PR vem com Vinicius Louro, Sérgio Frota e Hélio Soares; o PRB possui Júnior Verde e Zé Gentil; o PSB ainda tem Édson Araújo; PP possui Hemetério Weba, Alberto Filho e Rogério Pitbull (PP).

As outras chapas tem um menor contingente de nomes conhecidos, mas também possuem certa robustez. PROS/PTB/PEN/PPL e PPS vão estar mais equilibrados, lá despontam Marcos Caldas e Mical Damasceno do PTB; Pastor Cavalcante do PROS; Jota Pinto e Rosangela Curado do PEN, PPL e PPS não possuem nomes de expressão.


PT possui os nomes de Honorato Fernandes e Zé Inácio como os favoritos para conquistar as vagas, mas ainda acreditam em uma terceira vaga.

No Solidariedade e PTC que ainda estão indefinidos aparecem nomes com peso na política estadual. O SD tem Fábio Braga, Helena Duailibe, Fernando Pessoa, Rildo Amaral, Sérgio Vieira, Coronel Pereira e Felipe Gonçalves, por sua vez o partido do pai do prefeito, tem exatamente Edivaldo Holanda Braga que é considerado o peso-pesado na disputa.

Com informações do Blog do diegoemir.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário