sábado, 6 de janeiro de 2018

Sem um centro de tratamento, pacientes das cidades do Vale do Pindaré que dependem de hemodiálise para sobreviver arriscam-se por horas nas estradas para realizaram o tratamento em outras regiões do Estado

Centenas de pacientes das cidades da região do Vale do Pindaré, que precisam fazer tratamento de hemodiálise, deslocam-se diariamente por centenas de quilômetros até as cidades de Bacabal, São Luís ou outras cidades longínquas do Estado para realizarem o tratamento.

A região do Vale do Pindaré tem uma população estimada em 640.315 habitantes, segundo o IBGE 2009, e está dividida em 22 municípios, sua principal cidade é Santa Inês, que tem uma população estimada em 100.000 habitantes e é considerada a "capital" do Vale.

Apesar dessa quantidade de habitantes, os governos, principalmente o do Estado, não olha com bons olhos para esta população, apesar de Santa Inês contar com um hospital regional, que foi inaugurado há pouco mais de um ano e atende algumas especialidades de saúde, os pacientes que depende de hemodiálise para sobreviver, são obrigados a se deslocarem por horas e por vários quilômetros dentro de carros para serem atendidos.  

Outro problema é a fila de espera, muitos dos pacientes que são diagnosticados com o problema de saúde são obrigados aguardar, até por meses, para conseguir uma vaga, devido a pouca quantidade de centro especializado no tratamento no Estado.

Será se a população do Vale do Pindaré não merece um pouco mais de atenção e respeito?

O governo deveria implantar o tratamento no Hospital Macro Regional de Santa Inês, assim livraria estes pacientes das exaustantes viagens e contribuiria para o bem estar dos mesmos.

Senhor governador, até quando essa procissão de carros lotados de pacientes, deslocando-se para outras regiões do Estado para fazer hemodiálise irá continuar?    

Nenhum comentário:

Postar um comentário